top of page

Amazônia+10 coopera com Belmont Forum em chamada sobre florestas tropicais

Iniciativa internacional busca soluções inovadoras para os desafios enfrentados nas regiões de florestas tropicais e sistemas naturais associados


Agência FAPESP – A Iniciativa Amazônia+10 está atuando em parceria com o Belmont Forum na chamada de propostas "Florestas Tropicais: implicações globais e ações urgentes", lançada sexta-feira (14/06) em evento na Finlândia.


O edital é endossado pelo G-20 e contará com recursos financeiros de 20 agências de fomento em 22 países (Argentina, Bolívia, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Estados Unidos, Equador, França, Guatemala, Jamaica, Japão, Indonésia, México, Noruega, Suíça, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai).


No Brasil, a participação de agências estaduais de fomento foi articulada no âmbito da Iniciativa Amazônia+10. Já participam as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) de Alagoas, Paraná, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Ceará. Estão também em processo de adesão as FAPs do Amapá, Espírito Santo, Amazonas, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Pará. A lista completa de participantes pode ser encontrada em: https://belmontforum.org/cras#forests2024.


A chamada financiará projetos de pesquisa colaborativa com até três anos de duração que busquem coordenar ações e projetos com abordagem transdisciplinar para desenvolver soluções inovadoras para os desafios enfrentados nas regiões de florestas tropicais e sistemas naturais associados.


Reconhecendo as diferenças na governança, na diversidade social e cultural e na configuração territorial, a chamada abrange florestas tropicais em todo o mundo. As propostas de pesquisa e os consórcios devem incluir perspectivas das ciências sociais e humanas, assim como das ciências naturais e físicas. Devem também envolver efetivamente atores sociais, usando abordagens participativas, cocriação, codesenvolvimento e coimplementação.


As propostas devem atender pelo menos dois dos três temas a seguir, buscando conexões transversais entre eles: Reduzir o desmatamento, promover o desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento econômico liderado localmente; Função do Ecossistema, Conectividade e Ciência das Mudanças Climáticas; Justiça e Governança Ambiental.


Incentiva-se o aproveitamento das redes e sínteses existentes, bem como a criação de novas atividades colaborativas. Recomenda-se o uso de plataformas virtuais e outras abordagens digitais de intercâmbio.


Proponentes que solicitem recursos às FAPs participantes deverão consultar as exigências e requisitos necessários para o financiamento nos anexos de sua respectiva fundação, disponíveis em: https://www.belmontforum.org/cras#forests.


(foto: Leonardo Milano-ICMBio / Agência Brasil)

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page