top of page

Confira a programação do Workshop Expedições Científicas, que será realizado dia 21 de março com transmissão ao vivo



A Iniciativa Amazônia +10, o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisas (Confap), o Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência Tecnologia e Inovação (Consecti), e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) vão realizar em Manaus, no dia 21 de março de 2024, um workshop sobre a Chamada de Expedições Científicas, lançada em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 


O evento é destinado a pesquisadores interessados em concorrer ao edital e será realizado das 8h30 às 18h, horário de Manaus (9h30 às 19h, horário de Brasília), com transmissão ao vivo no canal da FAPEAM. As vagas presenciais foram todas preenchidas.


O objetivo do workshop é esclarecer dúvidas sobre o edital, cujas inscrições encerram no dia 29 de abril, além de abordar os principais assuntos da chamada. Durante o encontro, haverá momentos de interação entre os pesquisadores brasileiros e estrangeiros para a formação de parcerias e discussão de propostas.


O evento conta com o apoio do XPRIZE Rainforest - Florestas Tropicais, uma premiação internacional realizada pelo XPRIZE e financiado pelo Alana, valendo US$10 milhões, que tem como objetivo acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias de mapeamento da biodiversidade de florestas tropicais, cuja final acontece este ano na floresta amazônica do Brasil. 


Na oportunidade, também serão realizadas quatro sessões científicas: a primeira apresentará as melhores práticas em expedições científicas, evidenciando a participação de instituições renomadas da região, como Museu Paraense Emílio Goeldi (Goeldi) e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa); a segunda, a participação e protagonismo indígenas e de comunidades tradicionais na pesquisa, destacando o papel dos pesquisadores PIQCT (Povos indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais) na produção de conhecimento; a terceira, Diretrizes Éticas e regulatórias para a realização de expedições científicas; e a quarta, uma discussão sobre tecnologias emergentes em biodiversidade e integração de dados.


Veja a programação e os painelistas de cada mesa


08:30 - 09:15 - Abertura


09:15 - 09:30 - Apresentação da Chamada Expedições Científicas 


09:30 - 11:00 

Painel 1: Melhores Práticas em Expedições Científicas


Painelistas:


Maria Inês Ramos

Curadora dos Acervos de Rochas, Minerais e Fósseis do Museu Emílio Goeldi. Possui graduação em Biologia e Mestrado e Doutorado em Geociências. Atualmente é pesquisadora titular do Museu Emílio Goeldi e atua no Programa de Pós-graduação em Geologia e Geoquímica da Universidade Federal do Pará. 


Maria Teresa Fernandez Piedade  

Desde 1988 é pesquisadora Titular III do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Graduada em ciências biológicas, com especialização em Botânica e Mestrado e Doutorado em Ecologia, ela compõe o corpo docente dos Programas de Pós-Graduação de Ecologia e Botânica do INPA e do Mestrado em Biodiversidade da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). É membro e atual presidente do Conselho de Administração do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM). 


Filippo Stampanoni 

Diretor Adjunto Científico do Museu da Amazônia (MUSA). Doutor em Arqueologia, é membro da equipe do Laboratório de Arqueologia dos Trópicos (ARQUEOTROP/MAE-USP) e possui graduação em letras clássicas e arqueologia.


Moderador:


Carlos Joly 

Professor Emérito da UNICAMP, possui graduação em Ciências Biológicas, Mestrado em Biologia Vegetal e PhD em Ecofisiologia Vegetal. Editou 13 livros, entre eles o recente e-book Diálogos Amazônicos: Contribuições para o Debate Sobre Sustentabilidade e Inclusão. É membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e do Science-Policy Advisory Committee do Inter-American Institute for Global Change Research (IAI).


11:30 - 13:00

Painel 2: Participação e protagonismo indígenas e de comunidades tradicionais na pesquisa


Painelistas:


Braulina Baniwa 

Pesquisadora indígena e Coordenadora de relações internacionais na Articulação Nacional das Mulheres Indígenas Guerreiras da Ancestralidade (ANMIGA). Bacharel em Ciências Sociais e Mestre em Antropologia Social, é ex-presidente da Associação dos Acadêmicos Indígenas da UnB e atua na Articulação Brasileira de Indígenas Antropóloges (Abia)


Eliene dos Santos Rodrigues Putira Sacuena 

Vice-Presidente da Liga Acadêmica de Saúde Indígena no Estado do Pará e Conselheira Nacional de Saúde pela Coordenação Indígena Amazônia Brasileira (COIAB). Indígena da etnia Baré, é graduação em Biomedicina, é doutoranda em Antropologia na concentração Bioantropologia na linha de pesquisa em Genética Forense. Co-fundadora da Articulação Brasileira de Indígenas Antropologes (Abia).


Josiel Juruna

Pesquisador indígena e coordenador do Monitoramento Ambiental e Territorial Independente da Volta Grande do Xingu (MATI-VGX) sobre os impactos de Belo Monte na região. Josiel faz parte do grupo de pesquisa do projeto "Partilha da água e resiliência de um sistema sócio-ecológico único na Volta Grande do Xingu", selecionado no primeiro edital da Iniciativa Amazônia+10, em 2022. 


Moderadora:


Maria Beatriz Ribeiro

Desde 2019, trabalha no Programa Xingu, do Instituto Socioambiental (ISA). Bióloga e doutora em Ecologia, atua na região amazônica há mais de 20 anos, com foco em entender os impactos antrópicos sobre a floresta e apoiar os povos indígenas e tradicionais da bacia do Xingu na luta pela defesa de seus territórios e direitos. 


14:30 - 16:00 

Painel 3: Diretrizes éticas e regulatórias para realização de expedições científicas


Painelistas: 


Marinete Cadete da Silva 

Chefe de Gabinete da Presidência da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e responsável pela Assessoria de Acompanhamento de Estudos e Pesquisas da organização. Indígena do povo Wapichana de Roraima, é formada em Gestão Ambiental e Comunicação Social com habilitação em Jornalismo.


James Bessa 

Analista ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Engenheiro de pesca com Mestrado em Biologia Aquática e Pesca Interior, tem ampla experiência em legislação ambiental, auditoria e análise de pesca industrial, comercial, indústria pesqueira, pesca esportiva e pesca ornamental. 


Maira Smith

Coordenadora Geral de Acesso e Rastreabilidade (CGAR) do Departamento de Patrimônio Genético do Ministério do Meio Ambiente e atua como segunda suplente da Presidência do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGen). Bióloga com mestrado em Ecologia e doutorado em Desenvolvimento Sustentável, é indigenista especializada pela FUNAI.


Moderador: A definir.


16:30 - 18:00 

Painel 4: Tecnologias emergentes em biodiversidade e integração de dados para pesquisa na Amazônia


Painelistas: 


Peter Houlihan

Vice-Presidente de Biodiversidade e Conservação da XPRIZE Foundation. É professor visitante no Instituto para o Meio Ambiente e Sustentabilidade da UCLA, no Centro de Pesquisa Tropical e no Instituto da Bacia do Congo, além de professor na Universidade Johns Hopkins em Ciência e Política Ambiental. Especialista em planejar e liderar expedições em florestas tropicais e ambientes tropicais sub estudados e ameaçados em todo o mundo.


Tatiana Schor

Chefe de unidade do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) na Região Amazônica. Graduada em Economia, com mestrado em Geografia Humana e doutorado em Ciência Ambiental, é professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). De 2019 a 2022, foi Secretária Executiva da Agência de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Amazonas e já coordenou o Centro de Unidades de Conservação do estado e foi Secretária Adjunta de Estado de Planejamento da Produção Rural. 


Alcebias Sapará

Vice-Coordenador da COIAB - Coordenação Indígena da Amazônia Brasileira. É uma liderança da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. Foi o primeiro coordenador estadual do Núcleo da Juventude Indígena de Roraima no Conselho Indígena de Roraima (CIR) e esteve à frente da organização por mais de quatro anos. 


Moderador:


JP Amaral

Gerente de Natureza do Alana. Conselheiro do Greenpeace Brasil, conselheiro do CONAMA e cofundador da rede Bike Anjo e do coletivo Ecologia Urbana. Formado em Gestão Ambiental, tem especialização em Sistema de Gestão Integrada e Futurismo na metodologia Fluxonomia 4D. Faz parte da rede de futuros líderes do Programa da Chanceler Alemã da Fundação Alexander von Humboldt, membro alumni da rede Red Bull Amaphiko de Empreendedores Sociais e do Young Global Changers.


Comments


bottom of page